quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

QUANDO MERECEMOS A FELICIDADE, NADA IMPEDE!

Ao final do mês de setembro de 2007, após inúmeros encontros casuais com um amigo de infância e meu namoradinho (eu tinha 13 anos), acabei sabendo que sua vida tinha dado muitas voltas, que estava só e que não acreditava mais na possibilidade de ser feliz. Ele estava tremendamente desiludido com as mulheres e tinha passado a dar preferência à solidão, e à tristeza que esta traz consigo.

Eu, vindo em largo declínio psicológico, enfrentando tratamento psiquiátrico e também achando que minha vida pessoal não tinha salvação, grudei-me aos conselhos de meu médico que, rindo da minha cara, tinha me falado que um dia isso iria passar. Foi então que, para aliviar meu amigo que se sentia sozinho, acabei por convidá-lo para que fosse me visitar para conversarmos, tocarmos violão juntos,cantarmos e ver alguns DVDs musicais que tenho, maravilhosos.

Foram muitas ocasiões de encontros, tantos quanto foram os repetidos convites.

Até que um dia, acho que o peguei fragilizado demais, ele aceitou e foi até minha casa.

Após isso eu convidava para jantar, almoçar, tomar café... e sua presença era tão certa quanto a minha.

Foi no dia 12 de outubro, depois de muito tempo freqüentando assiduamente minha casa, no momento em que assistíamos DVD e caía um forte temporal, que criei coragem e lhe disse: "- por que não colocas teu carro na garagem e não ficas aqui em casa conosco?"

Ele, surpreso, pensou e respondeu: "- pode ser!".

Foi feito o combinado, seguimos vendo filme até que veio o cansaço. E aí? como eu faria para acomodar alguém, que me estava interessando, que não tomava uma iniciativa e que estava tão pertinho de mim... eu não poderia perder esta grande oportunidade, ímpar em minha vida.

Foi então que lembrei muito do meu médico, Dr.Aroldo Debom, e resolvi tomar a minha primeira decisão, minha decisão, sem que ninguém soubesse o que estava se passando dentro de mim e sem que ninguém opinasse a respeito do que eu estava a sentir. Arrumei minha cama, no meu quarto, e me fiz de boba... convidei-o para dormir. Ele ficou espantado, nunca imaginou que poderia acontecer o que estava acontecendo. Me questionou por quase toda a noite, eu, com sono, querendo dormir, e ele sem sono, querendo entender minha atitude.

Quando éramos jovens, que nos namoramos, nem na mão ele podia pegar. Imaginem que mudança...

Na realidade, nossas vidas tinham tomado rumos diferentes, mas nunca nos esquecemos um do outro. O respeito que sempre tivemos mutuamente serviu para que cada um de nós analisasse, ao longo do tempo, nossos comportamentos, nossas maneiras de ser e, depois de tantos anos, a vida colocou-nos, livres e independentes, um ao outro, frente-a-frente.

Hoje, eu com 53 e ele com 58 anos, temos a bagagem indispensável e necessária para garantirmos a felicidade. DEUS colocou-nos a fórmula especial na dosagem correta. Amamos, cantamos, lemos, comemos, passeamos, trabalhamos... estamos juntos 24horas. E a felicidade é sempre nossa companheira. Não podemos perder um só minuto porque mais 40 anos pela frente em nossas vidas, com certeza, será uma outra história a ser contada, provavelmente em outra dimensão.



3 comentários:

poeta_silente disse...

Minha querida!!!!!!
Que história linda, porque lindo é o AMOR e linda é a felicidade, quando nada, nem ninguém, nos impede de sermos felizes.
Sabes o quanto eu fico feliz com tua felicidade. Sabes que moras no meu coração... e que, agora, tenho um casal de amigos a morar neste cantinho especial, onde somente os amigos especiais tem seu lugar.
Deus os abençoe!
Beijos ternos
Miriam

FB disse...

Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.

Anônimo disse...

Oi,encontrei seu blog por acaso.Também fui paciente do Dr.Aroldo há um tempo atrás, fiquei feliz por saber que você superou suas dificuldades. No momento estou em uma fase super difícil, espero que passe também. Beijos. Mtas e mtas felicidades em sua vida.